Desafios do mercado de trabalho

O mercado de trabalho vem mudando em uma velocidade enorme. Educadores que buscam orientar seus alunos sobre o futuro buscam meios de se manterem atualizados sobre o assunto. A cada ano, descobertas são feitas e novidades não param de aparecer. Com elas surgem novas profissões, novas demandas de trabalho. Por outro lado, algumas ocupações desaparecem.

Mesmo em época de pleno emprego, as empresas encontram enormes dificuldades de contratar pessoas qualificadas no Brasil. Existem profissionais com pouco conhecimento técnico necessário para exercer as muitas funções – a baixa qualidade da educação no Brasil é, de fato, um desafio enorme a se vencer. Outros profissionais, por sua vez, precisam desenvolver habilidades pessoais e os valores considerados necessários pelas empresas para enfrentar a complexidade do mercado atual.

O período de escolha profissional é um caminho repleto de obstáculos a serem vencidos. O adolescente pode receber influências e pressões familiares, ser muito cobrado, ouvir “verdades prontas” de muitas pessoas que desejam opinar sobre o que ele deve fazer para o resto da vida. Além disso, a adolescência é um período de dúvidas e angústias naturalmente, sobre si mesmo, o grupo, o próprio corpo, entre milhares de outras questões. Poder contar com o apoio de um orientador, um educador que se coloca à disposição para pesquisar e aconselhar sobre a escolha profissional, pode ser muito favorável para esse aluno.

Muitos jovens escolhem uma profissão sem vontade real, baseados em falsas ideias, nas expectativas dos pais ou em aspirações de conquistas materiais. Por isso, lhes falta o que chamo de “brilho nos olhos”. E não são esses os profissionais que o mercado de trabalho brasileiro quer e precisa para vencer os desafios impostos por um mundo cada vez mais globalizado, interligado, dinâmico e mutável.

A nova realidade do mercado de trabalho cada vez mais demanda pessoas pensantes, capazes de analisar o cenário e de pensar em maneiras de transformá-lo e melhorá-lo, e reflexivas, que inovem com criatividade, alegria e mobilidade. Aquelas que têm alta identificação entre suas metas pessoais e o estilo de vida da profissão escolhida, que fazem acontecer, que possuem visão empreendedora e que entregam resultados, são pessoas integradas com a sua comunidade.

Assim, um papel vital do educador no contexto atual é estimular seus alunos a, desde cedo, manter uma atitude positiva e proativa para a construção da própria vida, a escolher focar a mente naquilo que é positivo. Eles precisam querer e se comprometer a serem pessoas do bem, que agregam coisas boas ao mundo por meio de seu trabalho. Um exemplo de estratégia prática é falar sobre assuntos relacionados ao mercado de trabalho durante as aulas. Por que não abordar o tema das novas tecnologias em uma aula de redação? Ou sobre as tendências migratórias em uma aula de geografia? Com iniciativas como essas, as aulas expositivas se tornam mais interessantes, dinâmicas e atuais, conversando diretamente com a realidade e com o futuro de seus alunos. E você, tem pensado a respeito de como pode colaborar para ajudá-los?

Fonte: uol

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *